O PAPEL E O MAR: SOBRE AS ESTÓRIAS QUE NÃO NOS CONTAM DOS PERSONAGENS NEGROS DA NOSSA HISTÓRIA

  • Maíra Zenun de Oliveira Universidade Federal de Goiás
Palavras-chave: Cinema, Representação Social, História dos Afrodescendentes no Brasil, Carolina de Jesus, Almirante Negro.

Resumo

O presente artigo tem por finalidade discutir, a partir do curta-metragem “O Papel e o Mar”, de  Luiz Antônio Pilar, a importância de obras que tragam para o protagonismo da História do Brasil, as estórias vividas por mulheres e homens negros brasileiros. Neste sentido, foi feita uma revisão bibliográfica a respeito da representação social do negro na mídia brasileira, a fim de pôr em relevância o quanto a ausência destas imagens dificulta a construção de um imaginário coletivo, nacional, que valorize a presença negra na História da sociedade brasileira. A partir da obra em questão, foi possível discutir como Carolina de Jesus, escritora, e João Cândido, o Almirante Negro, são personagens importantes, e como, apesar de iniciativas como a deste filme, ainda há uma enorme carência de produtos que revelem estas estórias individuais de liderança negra brasileira.

Biografia do Autor

Maíra Zenun de Oliveira, Universidade Federal de Goiás
Socióloga, pesquisadora, educadora, videografista e fotógrafa. Concluiu, em 2007, o Mestrado em Sociologia da Cultura, pela Universidade de Brasília (UnB), onde tratou sobre o processo de industrialização do cinema brasileiro e apresentou a dissertação "Os intelectuais na terra de Vera Cruz: cultura, identidade e modernidade." Em dezembro de 2013, foi selecionada para o Doutorado em Sociologia da Cultura, pela Universidade Federal de Goiás (UFG), com o projeto "Imagens e Autorrepresentação: uma estética negra no cinema africano." Atualmente, mantém um blog de imagens – www.floresdemaiomairazenun.com.br –, além de pesquisa sobre a questão da autorrepresentação sociocultural das culturas negras contemporâneas, e estudo sobre formas de se realizar etnografias urbanas através do audiovisual. Há mais de quatro anos, participa, como pesquisadora, do TRANSE/UnB – Núcleo Transdisciplinar de Estudos sobre a Performance –, orientado pelo Prof. Dr. João Gabriel Teixeira. Quanto a experiência profissional, atua há mais de sete anos como professora de Sociologia, para o Ensino Médio, e Antropologia e Sociologia para o Ensino Superior. Possui publicações e participação em eventos na área de Ciências Sociais/Humanas e Artes Visuais, onde já apresentou trabalhos com ênfase nas linguagens da Sociologia da Cultura e da Imagem, Fotografia, Cinema, Vídeo-performance e Educação. Por fim, atua com os seguintes temas acadêmicos: audiovisual, cinema, educação, literatura, recepção, performance, sociologia do conhecimento visual e da cultura.
Publicado
2014-12-23
Seção
ARTIGOS