MUDANÇAS DE CONTEXTO E NEGOCIAÇÕES DE IDENTIDADES EM SALA DE AULA

Alinne Santana Ferreira

Resumo


O presente artigo defende que os estilos de fala adotados pelos interagentes são construídos no contexto, levando-os a projetarem ou a negociarem identidades no curso da interação. Pretende-se demonstrar os resultados de uma investigação etnográfica no contexto de sala de aula em uma instituição de Ensino Superior. O objetivo do trabalho é revelar como as identidades são negociadas por meio do estilo de fala e como os interagentes sinalizam pistas de contextualização (Gumperz, 1982 e 2002), que os enquadram no contexto situacional. Este estudo se situa no quadro da Sociolinguística Interacional e incorpora contribuições das noções de contexto defendidas por Duranti & Goodwin (2000), assim como das concepções cognitivistas defendidas por van Dijk (1977). Ademais, pretende-se revelar como o contexto em curso determinará a escolha de um estilo de fala mais formal ou menos formal pelos professores colaboradores (Coupland, 2007 & Irvine, 2001) e como as identidades dos professores e dos alunos são negociadas no momento da interação (Woodward, 2009; Castells, 1999 & Bauman, 2005). Para realizar este estudo, foram feitas microanálises etnográficas por meio de filmagens de aulas com observação participante, totalizando corpus de, aproximadamente, duas horas de aulas gravadas. Como resultados desta pesquisa, pode-se indicar que a ideia de uma identidade fixa não constitui mais uma realidade no mundo pós-moderno. Por esta razão, as identidades fluidas e líquidas, defendidas por Giddens (2002) e Bauman (2005), aplicam-se ao contexto desta pesquisa, uma vez que o contexto em curso determinará as negociações ou as invocações/projeções de identidades pelos professores colaboradores.

 


Palavras-chave


Estilo de Fala; Contexto; Identidade; Ensino Superior.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19123/eixo.v3i2.156