Currículos de Química no Contexto da Educação Profissional Técnica de Nível Médio na Forma Integrada

Maron Stanley Silva Oliveira Gomes, Fernando Felipe Oliveira Lima, Fabrícia Mendes de Souza, Maria das Graças de Oliveira e Silva

Resumo


O que se almeja com a concepção de educação integrada é que a educação geral se torne parte inseparável da educação profissional em todos os campos onde se dá a preparação para o trabalho. O currículo de química de cursos técnicos de nível médio na forma integrada e de cursos de Licenciatura em Química foram analisados. A maioria dos cursos técnicos não apresentam um currículo de fato integrado e que a formação de professores de Química no que tange a Educação Profissional e Tecnológica ainda é deficiente, mostrando a necessidade de estudos aprimorados quanto à construção coletiva dos currículos de cursos técnicos na forma integrada e da inclusão nos cursos de Licenciatura em Química de conhecimentos de Educação Profissional e Tecnológica.


Palavras-chave


cursos técnicos; química; formação de professores

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, R. G. A concepção de currículo integrado e o ensino de Química no Novo Ensino Médio. In: 24ª Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, 2001, Caxambu. Anais da 24ª Reunião Anual da ANPEd, 2001. p.1-8.

BRASIL. Orientações Curriculares Para o Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação (MEC), Secretaria de Educação Básica (SEB), Departamento de Políticas de Ensino Médio, 2006.

______. Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrada ao Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnologica, 2007.

CANALI, H. H. B. A trajetória da educação profissional no Brasil e os desafios da construção de um ensino médio integrado à educação profissional. V Simpósio Sobre Trabalho e Educação Pará, 2009, Belém. Universidade Federal do Pará. 2009.

CIAVATTA, M. A formação integrada: a escola e o trabalho como lugares de memória e de identidade. In: FRIGOTTO, G.;CIAVATTA, M., et al (Ed.). Ensino Médio Integrado: Concepção e Contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

DAVINI, M. C. Currículo integrado. Brasília (DF): Ministério da Saúde (BR), Secretaria Executiva, Coordenação Geral de Desenvolvimento de Recursos Humanos para o SUS. Capacitação pedagógica para instrutor/supervisor: área da saúde. 1994.

LIBÂNEO, J. C. Didática. Cortez, 1994.

LOTERMAN, O. O currículo integrado na educação de jovens e adultos. 2012. 132 f. Dissertação (Mestrado em Educação nas Ciências). Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí. 2012.

MOURA, D. H. Educação básica e educação profissional e tecnológica: dualidade histórica e perspectivas de integração. HOLOS, v. 2, p. 4-30, 2008.

RAMOS, M. Possibilidades e desafios na organização do currículo integrado. In: FRIGOTTO, G.;CIAVATTA, M., et al (Ed.). Ensino médio integrado: concepções e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

SANTOS, E. H. A interdisciplinaridade como eixo articulador do Ensino Médio e do Ensino Técnico de nível Médio Integrados. In: (Ed.). Ensino Médio integrado à educação profissional: integrar para quê? Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.

SANTOS, W. D.; SCHNETZLER, R. P. Função social: o que significa ensino de química para formar o cidadão. Química Nova na Escola, v. 4, n. 4, p. 28-34, 1996.

SCHNEIDER, M. C. K.; AGUILAR, L. E. Trajetórias de Educação Profissional e Tecnológica. Florianópolis: IFSC, 2013.

SILVA, T. T. Documento de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.19123/eixo.v4i2.282