Saberes da profissionalidade nos IFs para além da racionalidade técnica

Graziele Brandt

Resumo


A pesquisa intitulada “Saberes da profissionalidade nos IFs para além da racionalidade técnica” tem como objetivo investigar e compreender quais são os saberes da profissionalidade necessários aos professores do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico dos Institutos Federais de Educação (IFs). Tendo como problema central: Existe um conjunto de saberes inerentes à profisssionalidade dos professores do Ensino Básico Técnico e Tecnológico (EBTT), os quais atuam nos IFs? O percurso metodológico de caráter qualitativo baseou-se na aproximação dos autores que fundamentam o problema em questão e análise de conteúdo das vozes dos sujeitos da pesquisa. Do ponto de vista empírico, a pesquisa pretende contribuir para o campo da formação de professores para a Educação Profissional Tecnológica, especificamente, na formação pedagógica dos professores e teórico-metodológica na concepção da Educação Básica, Técnica e Tecnológica.  O aporte teórico que utilizamos para fundamentar os saberes da profissionalidade são os autores GIROUX (1986); TARDIF, C. e LESSARD, M. (2009); MOREIRA (2002); TARDIF (2000; 2002); NÓVOA (1992, 1995, 2013); PIMENTA, ANASTASIOU, CAVALLET (2003); e ZEICHNER (1993;2003). Os resultados da pesquisa apontaram que os saberes da profissionalidade dos professores do Ensino Básico Técnico e Tecnológico são os saberes teóricos,  os saberes da prática e os saberes pedagógicos. Entretanto, nas atividades de ensino-aprendizagem buscam romper com racionalidade técnica com ações pedagógicas pautadas na racionalidade emancipatória e na racionalidade crítica-comunicativa. Há também a necessidade de novas pesquisas e estudos sobre políticas públicas de formação dos professores do EBTT, as quais precisam ser criadas pelos órgãos nacionais, como a SETEC/MEC, para que esse direito não fique só eternizado na legislação educacional nacional; e sobre os saberes e a identidade dos professores dos IFs.


Palavras-chave


Educação Profissional Tecnológica. Formação de Professores. IFs

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Um Novo Modelo em Educação Profissional e Tecnológica - Concepção e Diretrizes. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12503&Itemid=841. Acesso em 23 de nov. de 2013.

BOURDIEU, P.. A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In NOGUEIRA, M.A. e CATANI, A. Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1998, p. 39-64.

______. Os excluídos do interior. In NOGUEIRA, M.A. e CATANI, A. Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1998, p. 217-227.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

CUNHA, M. I. Inovações pedagógicas e a reconfiguração de saberes no ensinar e no aprender na Universidade. In: Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais, VIII, 2004, Coimbra. Anais..., 2004. Disponível em: . Acesso em: 18 jun. 2013.

______. O tema da formação de professores: trajetórias e tendências do campo na pesquisa e na ação. Educ. Pesqui. [online]. 2013, vol.39, n.3 [citado 2013-10-11], pp. 609-626. Disponível em: . Acesso em 15 de fev. de 2014

GIROUX, H. A. Teoria Crítica e Resistência em Educação. Petrópolis: Vozes, 1986.

______. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

LIMA, Emília Freitas. O curso de Pedagogia e a nova LDB: vicissitudes e perspectivas. In. Formação de educadores: desafios e perspectivas In: BARBOSA, Raquel Lazzari Leite (Org.). Formação de Educadores: Desafios e Perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, 2003, p.184 -199.

MOREIRA, C. E. Formação continuada de professores: entre o improviso e a profissionalização. Florianópolis: Insular, 2002.

NÓVOA, A. (Coord.). Os professores e sua formação. 2. Ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

______. O professor pesquisador e reflexivo. TVE Brasil – Salto para o futuro, Rio de Janeiro, 13 set. 2001. Disponível em: 373 . Acesso em: 12 abr. 2013.

OLIVEIRA SANTOS, A. P. Q. R. e S. ; FARTES, V. L. B. O trabalho docente na educação profissional e tecnológica no brasil: desafios e perspectivas contemporâneas . Trabalho apresentado no V Congresso de Pesquisa e Inovação da Rede Norte Nordeste de Educação Tecnológica (CONNEPI 2010) Disponível em: http://connepi.ifal.edu.br/ocs/index.php/connepi/CONNEPI2010/paper/view/722 Acesso em 10 de out. de 2013.

SACRISTÁN, J. G..O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3ed. Porto Alegre: ArtMed,1998.

SANTOS, L. L. de C. P. Bernstein e o campo educacional: relevância, influências e incompreensões. Cadernos de Pesquisa, n. 120, p. 15-49, novembro/ 2003.

TARDIF, M.. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o magistério. In: Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro: ANPED, no. 13, jan./abr. 2000.

THERRIEN, J.; THERRIEN, A. T. S. Cultura docente e gestão pedagógica: a racionalidade prática dos saberes do saber-fazer. Tecnologia Educacional, v. 29, p. 42-51, 2000. 378

______; DAMASCENO, M. N. Artesões de um outro ofício: múltiplos saberes e práticas no cotidiano escolar. São Paulo, Annablume, 2000.

______; LOIOLA, F. A. Experiência e competência no ensino: pistas de reflexões sobre a natureza do saber-ensinar na perspectiva da ergonomia do trabalho docente. Educação e Sociedade, Campinas, v. 22, n. 74, p.143-160, 2001.

ZEICHNER, K. M. A formação reflexiva de professores - Idéias e práticas. Lisboa: Educa, 1993. 379




DOI: http://dx.doi.org/10.19123/eixo.v5i1.319