Gestão de Pessoas e o Assédio Moral nas Organizações.

EDUARDO GOMES DA SILVA, ANGELA FERREIRA DE LIMA PIZZAIA

Resumo


O assédio moral consiste em ataques constantes contra a uma pessoa ou um grupo de pessoas, ferindo sua imagem ou moral, que podem causar problemas em sua autoestima e saúde mental, gerando problemas ainda maiores como o isolamento e afastamento do colaborador de suas atividades na organização. O objetivo do presente estudo é analisar dados teóricos baseando-se no levantamento bibliográfico sobre a gestão de pessoas e o assédio moral nas organizações. Para alcance do objetivo desse trabalho, a metodologia utilizada foi pesquisa exploratória, tendo como coleta de dados o levantamento bibliográfico. Os resultados indicam que segundo a OIT, o índice de assédio moral atinge 42% dos trabalhadores Brasileiros, e conforme a BBC Brasil 52% dos Brasileiros já sofreram algum tipo de assédio moral, onde esse índice é real e significativo levando a doenças que comprometem a saúde mental. Com isso é de extrema importância de se avançar neste viés considerando a importância social do tema. Como medidas de prevenção, existem os treinamentos dos gestores e colaboradores dentro da organização, onde é mostrado a importância e os riscos que o assédio moral pode ocasionar no colaborador.

 


Palavras-chave


Gestão de Pessoas; Assédio Moral; Organizações.

Texto completo:

PDF

Referências


ADAMS, A. Bullying at work: how to confront and overcome it. London: Virago, 1992.

ANSOFF, H. Igor. Implantando a administração estratégica. São Paulo: Atlas, 1993.

BBC BRASIL. Metade dos brasileiros já sofreu algum tipo de assédio no ambiente de trabalho. Disponível em: Acesso em: 05 Dez 2017.

BARRETO, M. Violência, saúde e trabalho – uma jornada de humilhações. São Paulo: EDUC, 2003.

BARROS, A. M. Curso de Direito do Trabalho. São Paulo: LTR, 2005.

BASSMAN, E. Abuse in the workplace. Westport. CT: Quorum Books, 1992.

BOHLANDER, et al. Administração de Recursos Humanos. 16 ed, São Paulo: Cengage Learning, 2015.

BOXALL, P. The strategic HRM debate and the resource-based view of the firm. Human Resource Management Journal, v.6, n.3, p. 59-75, 1996.

CARAN, V. C. S, et al. Assédio moral entre docentes de instituição pública de ensino superior do Brasil. Acta Paulista de Enfermagem, v.6, n.23, p. 737-744, 2010.

DUTRA, J. S. Competências: conceitos e instrumentos para a gestão de pessoas na empresa moderna. São Paulo: Atlas, 2009.

FALKHEIMER, Jesper. The power of strategic communicationa in organizational development. International Journal of Quality and Service Sciences, Vol. 6 Iss 2/3 pp. 124 – 133. 2014.

FIDELIS, G. J.; BANOV, M. R. Gestão de recursos humanos: tradicional e estratégica. 1. ed. São Paulo: Érica, 2006.

FILHO, A. M; SIQUEIRA, M V. S. Assédio moral e gestão de pessoas: Uma análise do assédio moral nas organizações e o papel da área de gestão de pessoas. RAM – Revista de Administração Mackenzie. Vol. 9, n. 5, 2008 p. 11-34

.

FREITAS, M. E. Cultura organizacional: identidade, sedução e carisma. Rio de Janeiro: FGV, 1999.

FREITAS, M. E. Assédio moral e assédio sexual: faces do poder perverso nas organizações. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 41, n. 2, p. 8-19, 2001.

GENELOT, Dominique. Manager Danslacomplexitè: reflexions à l’usagedesdirigents. 4ª ed. Paris: Insep Consulting, 2011.

GRAMIGNA, M. R. Modelo de competências e gestão dos talentos. 2 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

GUEDES, M. N. Terror Psicológico no Trabalho. 2 ed. São Paulo: Ltr, 2006.

GUTIERREZ, L.H.S. Recursos humanos em um contexto de reestruturação. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v.1, n.31, p.97-103, 1996.

HEMETÉRIO, R. A. Assédio moral no trabalho. Revista IOB, v. 17, n. 208,

Outubro, 2006.

HIRIGOYEN, M. F. Assédio moral: a violência perversa do cotidiano. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 2001.

HOEL, H; SALIN, D. Organizational antecedentes of worplace bulling. In: EINARSEN, S; HOEL, H; ZAPT, D; COOPER, C. L. (Eds). Bulling and emotional abuse at work. Internationl perspectives in research and pratctice. London: Taylor and Francis, 2003.

KEASHLY, L. Emotional abuse in the workplace: conceptual ad empirical issue. Journal of Emotional Abuse, New York, n. 1, p. 85-117, 1998.

KOTLER, P. Administração de Marketing. 12 ed, São Paulo: Prentice Hall, 2006.

KOTLER, P. Administração de Marketing. São Paulo: Atlas, 2016.

LACOMBE, F. Recursos Humanos: princípios e tendências. 1 ed, São Paulo: Saraiva, 2006.

LEYMANN, H. Mobbing and psychological terror at workplaces. Violence and Victims. Seattle, n. 5, p. 119-126, 1990.

LIMA, C. S; URBINA, L. M. S. Eficiência competitiva através de investimento em capital humano. XXI Encontro nacional de Engenharia de Produção.Curitiba,2002 5 páginas. Disponível em: Acesso em 05 Nov 2017.

LONGO, F. Mérito e Flexibilidade: a gestão das pessoas no setor público. 1 ed, São Paulo: Fundap, 2007.

MIRANDA, K. F.; MIRANDA, H. C. F. Compreendendo a Gestão de Pessoas. Disponível em: . Acessado em: 11 Out 2017.

O.I.T. Disponível em: Acesso em: 05 Dez 2017.

O. M. S. Sensibilizando sobre el acoso psicológico en el trabajo. Serie Protección de la Salud de los Trabajadores, n. 4. Genebra, 2004.

PEREIRA, M. C. B. RH Essencial – Gestão estratégica de pessoas e competências. 1 ed, São Paulo: Saraiva, 2014.

PIZZAIA, A. F. L. A comunicação no compartilhamento de informações no âmbito da educação à distância em uma instituição de ensino superior. 2017. (Mestrado em Gestão do conhecimento nas organizações) - Centro Universitário de Maringá. Maringá, 2017.

PRICE, S. L. Interpersonal conflict witch includes mistreatment in a university workplace. Violence and Victims. Vol 1, n. 10, p. 285-297, 1995.

RIBEIRO, A. L. Gestão de Pessoas. 7. ed. São Paulo: Editora Saraiva, 2005.

ROBBINS, S. P. Comportamento Organizacional. São Paulo: Person Prentice Hall, 2006.

SALVADOR, L. Assédio moral: doença profissional que pode levar à incapacidade permanente e até à morte. Jus Navigandi, teresina, a. 6, n. 59, out. 2002.

SANTOS, J. A. O capital intelectual nas organizações. Monografia apresentada no curso de administração de empresas pela Universidade Veiga de Almeida. Rio de Janeiro, 2007. Disponível em: < http://187.12.201.162/sites/all/themes/uva/files/pdf/ monografia_o_capital_intectual_organizacoes.pdf>. Acesso em: 15 Out 2017.

SILVA, R.G.; JOSEPETTI, D. M.; PIZZAIA, A.F.L. Gestão de pessoal da Administração pública. Unicesumar: Maringá, Pr, 2017.

TONELLI, M. J.; LACOMBE, B. M. B.; CALDAS, M. P. Manual de Gestão de Pessoas e Equipes: Estratégias e Tendências. 1 ed. São Paulo: Editora Gente, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.19123/eixo.v8i3.529