Revisão narrativa: metodologias de adaptação e validação de instrumentos psicológicos

Resumo

O artigo descreve os procedimentos metodológicos utilizados na adaptação e validação de instrumentos psicológicos, e exemplifica com resultados de pesquisas. Foram abordadas as metodologias que preconizam: a avaliação de seis equivalências - conceitual, de itens, semântica, operacional, de mensuração e funcional; apontam os cinco passos para a adaptação: (1) tradução para o idioma alvo, (2) síntese de versões traduzidas, (3) avaliação da versão síntese por especialistas, (4) avaliação da versão síntese pelo público-alvo e (5) estudo-piloto; e ainda as três etapas fundamentais para a validação: mensuração da validade convergente, análise fatorial e análise da fidedignidade por meio do coeficiente Alfa de Cronbach. Esse complexo processo é apresentado nas metodologias de quatro estudos de adaptação e validação dos instrumentos no Brasil, Portugal, Estados Unidos e Canadá com idiomas similares e distintas.  As discussões articuladas contribuirão para a capacitação de estudantes, pesquisadores e profissionais da saúde.

Referências

ANDRADE, J. M.; SALES, H. F. S. (2017). A diferença entre avaliação psicológica e testagem psicológica: questões emergentes . In M. R. C. Lins, J. C. Borsa (Orgs.), Avaliação Psicológica: Aspectos Teóricos e Praticos (p. 9-22). Petropolis: Vozes.

BARKER, C.; PISTRANG, N.; & ELLIOT, R. (2015). Research methods in clinical psychology: an introduction for students and practitioners. West Sussex: John Wiley & Sons.

BARRERA, M. et al. External validity and reliability of the psychosocial assessment tool (PAT) among Canadian parents of children newly diagnosed with cancer. Pediatric Blood and Cancer, v. 61, n. 1, p. 165–170, 2014.

BORSA, J. C.; DAMÁSIO, B. F.; BANDEIRA, D. R. Cross-Cultural Adaptation and Validation of Psychological Instruments. Paidéia, v. 22, n. 53, p. 423–432, 2012.

CASSEPP-BORGES, V.; BALBINOTTI, M. A.; TEODORO, M. M. Tradução e validação de conteúdo: Uma proposta para a adaptação de instrumentos. In: PASQUALI, L. (Ed.). . Instrumentação psicológica: Fundamentos e práticas. Porto Alegre: Artmed, 2010. p. 506–520.

CFP. Resolução 002 de março de 2003DOU 24 de Março de 2003, , 2003.

CORRÊA, A. DE O. Adaptação e validação do communities that care youth survey (CTCYS) para uma comunidade brasileira: um estudo-piloto. [s.l.] Universidade de Brasilia, 2014.

DAMÁSIO, B. F. Uso da análise fatorial exploratória em psicologia. Avaliação Psicológica, v. 11, n. 2, p. 213–228, 2012.

DUARTE, C. S.; BORDIN, I. A. S. Instrumentos de Avaliação. Rev. Bras. Psiquiatr, v. 22, n. Supl II, p. 55–58, 2000.

FILHO, D. B. F.; JÚNIOR, J. A. D. S. Desvendando os mistérios do coeficiente de correlação de Pearson (r). Revista Política Hoje, v. 18, n. 1, p. 115–146, 2009.

FILHO, N. H.; TEIXEIRA, M. A. P. A estrutura fatorial da Escala CES-D em estudantes universitários brasileiros. Avaliação Psicológica, v. 10, n. 1, p. 91–97, 2011.

GIUSTI, E.; BEFI-LOPES, D. M. Tradução e adaptação transcultural de instrumentos estrangeiros para o Português Brasileiro (PB). Pró-Fono Revista de Atualização Científica, v. 20, n. 3, p. 207–210, 2008.

HAMBLETON, R. K. Issues, Designs and Technical Guidelines for Adapting Tests Into Multiple Languages and Cultures. In: HAMBLENTON, R. K.; MERENDA, P. F.; SPIELBERGER, C. D. (Eds.). . Adapting Psychological and Educational Tests for Cross-Cultural Assessment. New Jersey: Lawrence Erlbaum, 2005. p. 03-37.

HORA, H. R. M.; MONTEIRO, G. T. R.; ARICA, J. Confiabilidade em questionários para qualidade: um estudo com o coeficiente alfa de Cronbach. Produto & Produção, v. 11, n. 1973, p. 85–103, 2010.

IMADA, T. C. M. L. et al. Adaptação e validação da Family Dynamics Measure II para familiares de mulheres com câncer de mama. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 26, n. 3, p. 557, 2010.

ITC. ITC Guidelines for Translating and Adaptating Tests. [s.l: s.n.]. Disponível em: <http://www.intestcom.org/upload/sitefiles/40.pdf>.

KAZDIN, A. E. Research Design in Clinical Psychology. 4. ed. New York: Allyn&Bacon, 2010.

LAROS, J. A. O Uso da Análise Fatorial: Algumas Diretrizes para Pesquisadores. In: PASQUALI, L. (Ed.). . Análise fatorial para pesquisadores. Brasília: LabPAM Saber e Tecnologia, 2005. p. 163–193.

LAUREANO, G. H. DA C. Coeficiente de Correlação Intraclasse: Comparação entre métodos de estimação clássico e bayesianos. [s.l.] Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2011.

MANZI-OLIVEIRA, A. B. et al. Adaptação transcultural de instrumentos de avaliação psicológica: levantamento dos estudos realizados no Brasil de 2000 a 2010. Psico-USF, v. 16, n. 3, p. 367–381, 2011.

PASQUALI, L. Psicometria. Rev Esc Enferm USP, v. 43, p. 992–999, 2009.

REICHENHEIM, M. E.; MORAES, C. L. Operacionalização de adaptação transcultural de instrumentos de aferição usados em epidemiologia. Revista de Saude Publica, v. 41, n. 4, p. 665–673, 2007.

RIZZINI, M. et al. Equivalência conceitual , de itens e semântica da versão brasileira do instrumento Dysfunctional Voiding Scoring System ( DVSS ) para avaliação de disfunção do trato urinário inferior em crianças. Cad. Saúde Publica, Rio de Janeiro, v. 25, n. 8, p. 1743–55, 2009.

SHAUGHNESSY, J. J.; ZECHMEISTER, E. B.; ZECHMEISTER, J. S. Metodologia de Pesquisa em Psicologia. Porto Alegre: AMGH Editora, 2012.

SILVA, A. M. M.; BRITO, I. DA S.; AMADO, J. M. DA C. Tradução, adaptação e validação do questionário Fantastic Lifestyle Assessment em estudantes do ensino superior. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, n. 6, p. 1901–1909, 2014.

URBINA, S. Fundamentos da Testagem Psicológica. Porto Alegre: Artmed, 2004.

WECHSLER, S. M.; SCHELINI, P. W. Bateria de Habilidades Cognitivas Woodcock-Johnson III : Validade de constructo. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 22, n. 3, p. 287–296, 2006.

Publicado
2019-12-17
Seção
ARTIGOS