Ensino de química para crianças: da curiosidade infantil à formação para a cidadania

  • Ana Carolyne de Oliveira Cardoso IFRJ - Curso de Licenciatura em Química
  • Hugo Noronha da Silva IFRJ - Curso de Licenciatura em Química
  • Denise Ana Augusta dos Santos Oliveira SME/Duque de Caxias
  • Jorge Cardoso Messeder IFRJ/PROPEC http://orcid.org/0000-0002-7396-1596

Resumo

Este artigo apresenta e discute os dados de um projeto do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), que teve como objetivo reconhecer os alunos como sujeitos ativos no processo de ensino-aprendizagem. A pesquisa se caracteriza como empírica experimental qualitativa, uma vez que foram realizadas intervenções na realidade de uma sala de aula. Foram realizadas duas intervenções, na busca de auxiliar o professor do ensino fundamental a promover atividades investigativas para um melhor aprendizado em ensino de Ciências. Para a fundamentação teórica da pesquisa foram usados, principalmente, os estudos de Carvalho (2003). As etapas compreenderam rodas de conversa e atividades experimentais investigativas realizadas no laboratório de ciências da escola, além de atividades de visitação à horta escola, uso de desenhos animados e estudo de caso. À vista disso, pode-se vislumbrar que a realização de intervenções no Ensino Fundamental possibilitam abordagens diferenciadas, transdisciplinares e relevantes para o processo de construção do conhecimento infantil.  

Biografia do Autor

Ana Carolyne de Oliveira Cardoso, IFRJ - Curso de Licenciatura em Química
Licencianda em Química - IFRJ/Nilópolis; bolsista PIBIC.
Hugo Noronha da Silva, IFRJ - Curso de Licenciatura em Química
Licenciando em Química - IFRJ/Nilópolis; bolsista PIBIC.
Denise Ana Augusta dos Santos Oliveira, SME/Duque de Caxias
Mestrado em Ensino de Ciências no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - PROPEC- IFRJ (2017). Graduada em Pedagogia pela Universidade Estácio de Sá (2006), especialista em Educação Psicomotora (2008) e em Gestão Escolar Integrada (2010) ambos pelas Faculdades Integradas de Jacarepaguá - FIJ. Atua como Professora do anos iniciais do Ensino Fundamental com especial interesse no ciclo de alfabetização na rede Municipal de Educação de Duque de Caxias (RJ) desde 2006. Dedica estudos e pesquisas às práticas de alfabetização e letramento (leitura e escrita), investiga práticas para o Ensino de Ciências e Letramento Científico nos anos iniciais do Ensino Fundamental e Educação em CTS. Participa do projeto de extensão (ABQesc e IFRJ) que visa identificar em conjunto aos professores do Ensino Fundamental e Educação Infantil das escolas públicas possíveis estratégias para abordagem de aspectos científicos, tecnológicos e sociais para o Ensino de Química/Ciências nos anos iniciais. 
Jorge Cardoso Messeder, IFRJ/PROPEC
Possui graduação em Química Industrial pela Universidade Federal Fluminense (UFF), mestrado e doutorado em Ciências pelo Instituto Militar de Engenharia (IME). Atualmente é professor Associado II do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ) onde desenvolve trabalhos nas áreas de Ensino de Ciências/Química, junto ao curso de Licenciatura em Química.  Integra o corpo docente dos programas de Pós-graduação Stricto Sensu em Ensino de Ciências do IFRJ (PROPEC) e do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências da Natureza da UFF (PPECN). É membro efetivo das seguintes associações científicas: Associação Brasileira de Química (ABQ); Associação Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências  (ABRAPEC); Associação Brasileira de Estudos Sociais das Ciências e das Tecnologias (ESOCITE.BR); Associação Ibero-Americana Ciência-Tecnologia-Sociedade na Educação em Ciência (AIA-CTS). A sua produção acadêmica se concentra principalmente em temas sobre Ensino de Química/Ciências, tanto na Educação Básica como no Ensino Superior, tendo enfoques em: CTS, Práticas de Ensino, Produção de Materiais Educativos e Relações entre Ensino, Aprendizagem e Pesquisa.

Referências

ALBANESE, M. A.; MITCHELL, S. Problem-based learning: a review of literature on its outcomes and implementation issues. Acad. Med., 68(1), p. 52-81. 1993.

ALMEIDA, M. E; A permanente relação entre biologia, poder e guerra: o uso dual do desenvolvimento biotecnológico. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20(7), p. 2255-2266, 2015.

ÁVILA, D. F.; GRIEBELER M. P. D.; BRUM A. L. Inovação: a Modernização da Agricultura no Planalto Gaúcho (Brasil). UNOPAR Científica. Ciências Jurídicas e Empresariais, v. 16, n. 2, p. 156, 2015.

BASTOS, M. J. Análise do Contexto da Educação Brasileira. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, São Paulo, v. 14, p. 47-54, 2017. Disponível em: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/educacao/analise-da-educacao-brasileira. Acessado em 20 de setembro de 2018.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais. Brasília: MEC, 1997.

CARVALHO, A. M. P. (Org.). Ensino de ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning. 2014.

COLINVAUX, D. Ciências e crianças: delineando caminhos de uma iniciação às ciências para crianças pequenas. Revista Contrapontos, Itajaí, v.4, n.1, p. 105-123, 2004.

CORAZZA, S. M. História da Infância sem fim. Rio Grande do Sul: Unijuí, 2000.

DIESEL, A.; BALDEZ, A. L. S.; MARTINS, S. N. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, v. 14, n. 1, p. 268-288, 2017.

HAMBURGER, E. W. Apontamentos sobre o ensino de Ciências nas séries escolares iniciais. Estudos Avançados, v. 21, n. 60, p. 93 -104, 2007.

MELO, M. C. H.; CRUZ, G. C. Roda de conversa: uma proposta metodológica para a construção de um espaço de diálogo no Ensino Médio. Imagens da Educação, Maringá, v. 4, n. 2, p. 31-39, 2014.

OVIGLI, D. F. B.; BERTUCCI, M. C. S. O ensino de Ciências nas séries iniciais e a formação do professor nas instituições públicas paulistas. Revista Brasileira de Educação Científica e Tecnológica, Curitiba, v. 2, n. 2, 2009.

ROSA, M. I. P.; TOSTA, A. H. O lugar da química na escola: movimentos constitutivos da disciplina no cotidiano escolar. Ciência & Educação, São Paulo, v. 11, n. 2, p. 253-262, 2005.

ROSA, P. R. S., Uma Introdução à Pesquisa Qualitativa em Ensino de Ciências, UFMS: Campo Grande, 2013. Disponível em: http://www.paulorosa.docente.ufms.br/Uma_Introducao_Pesquisa_Qualitativa_Ensino_Ciencias.pdf. Acessado em 20 de setembro de 2018.

SILVA, S. L. A.; Ferreira, G. A. L.; Silva, R. R. À procura da vitamina C. Química Nova na Escola, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 31-32, 1995.

Publicado
2019-12-17
Seção
ARTIGOS