O papel da comunicação interna na melhoria dos processos de gestão e relações interpessoais: estudo aplicado às instituições de ensino da Rede Federal do Brasil

Resumo

Ao iniciar este trabalho, verificou-se uma extensa bibliografia sobre comunicação interna voltada para empresas mercadológicas, mas com pouca referência à comunicação no âmbito das empresas públicas, principalmente às de ensino. Assim, este estudo pretende fazer uma revisão bibliográfica das teorias sobre comunicação interna destacando os conceitos que podem beneficiar as instituições públicas. Igualmente visa descobrir como se processa a comunicação interna em instituição pública de ensino. Destarte, escolheu-se como objeto de estudo uma instituição atípica: uma Autarquia Federal, criada em 2008, em todos os Estados brasileiros, de ensino tecnológico, multicampi, autônoma, mantida pelo orçamento da União. Para isso, utilizou-se autores da área de Comunicação e aplicou-se uma pesquisa qualiquantitativa para conhecer o fluxo de comunicação do Instituto pesquisado, os meios utilizados e os mais eficazes.

Biografia do Autor

Nilza Costa Silva, Instituto Federal de Barsília
Relações Públicas do IFB - Lotação: Diretoria de Comunicação Social

Referências

Amorim, M. C. S. Comunicação nas organizações. Descobrindo possibilidades de ações. In L. Dowbor, O. Ianni, P. E. A. Resende, H. Silva. (Org.). Desafios da comunicação. Petrópolis: Vozes, 2001. p. 227-230.

Andrade, C. T. S. Dicionário de relações públicas e comunicação e glossário de termos anglo-americanos. 2a ed. São Paulo: Summus,1996.

Beltrão, L. Teoria geral da comunicação. 3a ed. Brasília: Thesaurus, 1982.

Cesca, C. G. G. Relações públicas e suas interfaces. São Paulo: Summus, 2006.

Chiavenato, I. Introdução a teoria geral da administração: Uma visão abrangente da moderna administração das organizações. 7a ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

Chiavenato, I. Introdução a teoria geral da administração: Uma visão abrangente da moderna administração das organizações. Edição compacta. 3a ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

Chiavenato, I. Comportamento organizacional: A dinâmica do sucesso das organizações. São Paulo: Elsevier, 2005.

Conh, G. A forma da sociedade da informação. In L. Dowbor, O. Ianni, P. E. A. Resende, H. Silva (Org.). Desafios da comunicação. Petrópolis: Vozes, 2001. p. 20-27.

Fígaro, R. Relações de comunicação no mundo trabalho e a comunicação das organizações. In M.M.K. Kunsch. (Org.). A comunicação como fator de humanização das organizações. São Caetano do Sul: Difusão, 2010. p. 93-109.

Fortes, W. G. Relações públicas. Processos, funções, tecnologia e estratégia. 2a ed. São Paulo: Summus, 2003.

Kunsch. M. M. K. Planejamento de relações públicas na comunicação integrada. 3ª ed. São Paulo: Summus, 1986.

Kunsch. M. M. K. Planejamento de relações públicas na comunicação integrada. 5ª ed. São Paulo: Summus, 2003.

Kunsch. M. M. K. (Org.). Gestão estratégica em comunicação organizacional e relações públicas. 2ª ed. São Caetano do Sul: Difusão, 2009.

Lacombe, J. M. F., Heilborne, L. J. G. Administração. Princípio e tendência. 2a ed. São Paulo: Saraiva, 2008.

Lima, V. Comunicação e cultura: as ideias de Paulo Freire. 2a ed. Brasília: UnB, Fundação Perseu Abramo, 2011.

Marchesi, A. Comunicação interna: fator humano como diferencial competitivo. In P. Nassar (Org.). Comunicação interna: a força das empresas. São Paulo: ABERJE, 2005. p. 45-50.

Marchiori. M. Cultura e organização interna. In P. Nassar (Org.). Comunicação interna: A força das empresas. São Paulo: ABERJE, 2005. p. 110-116

Montana, P. J., Charnov, B.H. Administração. 2a ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

Motta, F.C.P., Vasconcelos, I. F.G. Teoria geral da administração. 3a ed. São Paulo: Thomson, 2006.

Mumby, D. K. Reflexões crítica sobre comunicação e humanização nas organizações. In M. M. K. Kunsch (Org.). A comunicação como fator de humanização das organizações. São Caetano do Sul: Difusão, 2010. p. 19-40.

Pires J. C. S., Macêdo, K. B. Cultura organizacional em organizações públicas no Brasil. RAP. Rio de Janeiro 40(1). (2006, janeiro e fevereiro) p. 81-105.

Rabaça, C. A., Barbosa, G. G. Dicionário de comunicação. 3a ed. São Paulo: Ática, 1998.

Rego, A. Comunicação pessoal e organizacional. Manual de exercício. Lisboa: Silabo, 2016.

Rego, F. G. T. Comunicação Empresarial. Comunicação Institucional. São Paulo: Summus, 1986.

Robbins, S. P., Decenzo, D. A. Fundamentos da Administração: Conceitos essenciais e aplicações. 4a ed. São Paulo. Prentice Hall, 2004.

Silva, C. J. Institutos Federais lei 11.892, de 29/11/2008: Comentários e reflexões. Natal: IFRN. 2009. Disponível em http://portal.mec.gov.br/ index.php?option=com_ docman&view=download&alias=3753-lei-11892-08-if-comentadafinal&category _slug=marco-2010-pdf&Itemid=30192, acessado em 02/02/18

Spilki, A., Tiltoni, J. O modo-indivíduo no serviço público. Descartando ou descartável. Revista de Psicologia & Sociedade. 17(3). (2005, setembro a dezembro). 67-73. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php? script=sci_arttext&pid=S0102-71822005000300010&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acessado em 5/04/18.

Stoner, J. A. F., Freeman, R. E. Administração. 5a ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999.

Thompson, J. A mídia e a modernidade. Uma teoria social da mídia. 11a edição. Petrópolis: Vozes, 2009.

Torres, L. M. L. Cultura organizacional em contexto educativo: sedimentos culturais e processos de construção do simbólico numa escola secundária. Braga: Universidade do Minho, 2004.

Ventura. M. M. G. Estratégia de comunicação interna. Tese de Mestrado. Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto. 2012 Disponível em http://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/3099/1/DM_ManuelaVentura_2012.pdf, acessado em 12/01/18.

Publicado
2019-12-17
Seção
ARTIGOS