Docência universitária e da educação técnica e tecnológica: desafios e competências

  • Alfredo Bravo Pinheiro Faculdade de Tecnologia de Cachoeiro de Itapemirim
  • Maria Deuceny Bravo Pinheiro Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim- FDCI Faculdade de Ciências Contábeis e Administrativas de Cachoeiro de Itapemirim - FACACCI

Resumo

As competências do professor Universitário da Educação Técnica/ Tecnológica fazem emergir desafios/dilemas presentes no exercício profissional. São situações que levam a uma crise de identidade profissional, oriundas das políticas públicas de educação, mutantes com as ideologias dos governos e que levam a pensar como esse docente as concilia e que dilemas se apresentam. Nesse contexto, no presente artigo são discutos aspectos que demonstram a necessidade da capacitação do docente à formação pedagógica. Buscou-se entender, via estudo de caso no Instituto Federal do Estado do Espírito Santo, em 2015, os reveses apontados no cotidiano desses profissionais. Os resultados apontam à percepção de que ser professor requer competências do conhecimento específico e do pedagógico, exigindo atualização constante das vertentes que compreendem a profissão docente e que participar de cursos e grupos de discussão não é alternativa divisada por alguns docentes.

Biografia do Autor

Alfredo Bravo Pinheiro, Faculdade de Tecnologia de Cachoeiro de Itapemirim
Doutor em Ciências da Educação pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, Portugal, atualmente cursando o Pós Doutorado na mesma Universidade, possui Curso Superior em Tecnologia em Rochas Ornamentais - Faci- Faculdade de Tecnologia de Cachoeiro de Itapemirim (2007). Pós Graduação  em Licenciamento Ambiental pela Universidade Gama Filho do Rio de Janeiro(2010). Exerceu, por 12 anos, atividades  relacionadas a pesquisa mineral em  Empresa de Geologia e Mineração. Desenvolveu pesquisa mineral nas cidades de Ras Garib e Aburssum, no Egito, no ano de 1999 administrando e gerenciando as equipes.  Prestou assessoria  em Meio Ambiente a diversas empresas de Rochas Ornamentais no estado do Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia. Participou  da atualização da Classificação Brasileira de Ocupações - CBO como especialista na reunião de Convalidação da Família Operacional - Engenheiro de Minas. Tem experiência na área de Ciências Ambientais, com ênfase em meio ambiente, ministrando, como professor, a matéria de Gestão Ambiental para o curso de Administração da Faculdade de Ciências Contábeis de Cachoeiro de Itapemirim - FACCACI.  Professor no Curso Técnico de Mineração na Rede Estadual de Ensino, no município de Vargem Alta. Foi professor substituto do Instituto Federal do Espírito Santo, Campus Cachoeiro de Itapemirim, ministrando as disciplinas Beneficiamento de Rochas Ornamentais, Caracterização e Aplicação de Bens Minerais, Empreendedorismo, Gestão da Produção e SMS - Segurança, Meio Ambiente e Saúde. Professor da Faculdade de Tecnologia de Cachoeiro de Itapemirim - FACI onde ministrou a disciplina de Empreendedorismo e Tecnologia Aplicada ao Beneficiamento. Tem  diversos trabalhos apresentados em Congressos Internacionais e artigos publicados em revistas nacionais e internacionais. Seus estudos enfocam a Formação de Professores, Educação Técnica e Tecnológica e Formação Continuada de Professores da Educação Profissional.
Maria Deuceny Bravo Pinheiro, Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim- FDCI Faculdade de Ciências Contábeis e Administrativas de Cachoeiro de Itapemirim - FACACCI
Doutora em Ciências da Educação pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, sob a orientação de António Gomes Ferreira. Possui graduação em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Madre Gertrudes de São José. Pós-graduação lattu sensu em Geografia Humana e em Geografia e Planejamento Ambiental pela PUC/MG e mestrado em Geografia- Organização Humana do Espaço pela Universidade Federal de Minas Gerais, com o título  "Percepção Cartográfica dos Alunios das Séries iniciais no Município de Cachoeiro de Itapemirim", sob a orientação de Janine Gisele  Le Sann.  É avaliadora de curso e  institucional do INEP/MEC; professora  de Metodologia Científica e Produção do Conhecimento da  Faculdade de Ciências Contábeis e Administrativas de Cachoeiro de Itapemirim e na Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim, atuando em diferentes cursos de pós-graduação lato sensu no sul do estado do Espírito Santo. Professora efetiva de Geografia na Rede Municipal de Ensino do município de Cachoeiro de Itapemirim, colaborou na elaboração do referencial curricular de geografia da rede municipal de ensino de Cachoeiro de Itapemirim e da Meta 6 do Plano Municipal de Educação.  Foi  Dirigente Municipal de Educação na gestão 2009-2012. Vice-presidente da UNDIME-ES, no período de setembro de 2012 a abril de 2013 e Gestora do Centro de Formação de Professores Dr. Dirceu Cardoso- CECAPEB,  em Cachoeiro de Itapemirim, ES, no ano de 2013. Seus estudos enfocam a a educação integral, o desenvolvimento humano e as políticas publicas educacionais.

Referências

ALVES, N., & GARCIA, R. (Orgs.). Formação de professores: pensar e fazer. São Paulo: Cortez, 1993

BEHRENS, M. A. A formação pedagógica e os desafios do mundo moderno. In

M. Masetto (Org.). Docência na universidade. Campinas: Papirus, 2001. pp. 57-68.

BEN-PERETZ, M., & L. KREMER-HAYON. The content and context of professional dilemmas encountered by novice and senior teachers. Educational Review, 42, 31-40, 1990.

BOLÍVAR, A. La Investigación Biográfico-Narrativa: fundamentos y metodologia. In M. HERRERA & GUTIÉRREZ (Eds.), Métodos cualitativos de investigación pra las ciências sociales (pp. 1-29). México: ITESM., 2008.

CUNHA, M. I, (Org.). Formatos avaliativos e concepção de docência. Campinas: Autores Associados, 2005.

GARCIA, C. M. A formação de professores: novas perspectivas baseadas na investigação sobre o pensamento do professor. IN A. NÓVOA (Coord.).Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992, p. 51-76.

GARCÍA, C. M. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

HARGREAVES, A. Os professores em tempo de mudança: o trabalho e a

cultura dos professores na idade pós-moderna. Amadora: McGraw-Hill, 2001.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse Estatística da Educação Superior 2016. Brasília:Inep, 2017. Disponível em:< http://portal.inep.gov.br/basica-censo-escolar-sinopse-sinopse>. Acesso em: 20 ago. 2018.

MANCEBO, D. Uma análise da produção escrita sobre o trabalho docente em tempos de globalização. In Fávero, M. L. A.; Mancebo, D. (Org.). Universidade: políticas, avaliação e trabalho docente São Paulo: Cortez., 2004, p.235 250.

MASETTO, Marcos T. Docência universitária: repensando a aula. In: TEODORO, Antônio. Ensinar e aprender no ensino superior: por uma epistemologia pela curiosidade da formação universitária. Ed. Cortez: Mackenzie, 2003.

MASETTO, M. T.(Org.). Docência na universidade. 4.ed. Campinas: Papirus, 2002.

MUSSELIN, C. European universities’ evolving relationships: the state, the universities, the professoriate. CHER Conference, Reykjavik, 2011.

OLIVEIRA, M. S. Formação e profissionalização dos professores do ensino técnico. Educação e tecnologia. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

OLIVEIRA, E. C. Formadores de professores de língua inglesa: uma experiência de colaboração e reflexão. Tese Doutorado em Letras e Estudos Linguísticos.

Universidade Federal de Minas Gerais, 2008.

PERRENOUD, P. Práticas pedagógicas, profissão docente e formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote e Instituto de Inovação Educacional, 1997.

PERRENOUD, P. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre :Armed, 2000

PERRENOUD, P. A prática reflexiva no ofício de professor: profissionalização e razão pedagógica. Porto Alegre: Armed, 2002.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: Identidade e saberes da docência. In S.G. Pimenta(Org). Saberes pedagógicos e atividadedocente. São Paulo: Cortez. 1999, p. 15-33.

PIMENTA, S. G. Professor reflexivo: construindo uma crítica. In S. G.Pimenta & E.Gherdin (Orgs.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito.2ª ed. São Paulo: Cortez, 2002, p. 12-52

PIMENTA, S. G.,& ANASTASIOU, L. C. Docência no ensino superior. 2ª ed.São Paulo: Cortez, 2005..

PINHEIRO, A.B.M., BARREIRA, C.M.F., VAZ-REBELO, M.P. Desafios e dilemas na docência Universitária e na educação profissional técnica e tecnológica. I Congresso Do Programa de Doutoramento em Ciências da Educação. Coimbra: Universidade de Coimbra. 2018.

PINHEIRO, A.B.M. et al. Formação pedagógica de professores da educação profissional e tecnológica numa instituição Brasileira. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación, [S.l.], p. 116-120, nov. 2015. ISSN 2386-7418. Disponible en: <http://revistas.udc.es/index.php/reipe/article/view/reipe.2015.0.06.303>. Fecha de acceso: 20 ago. 2018 doi:http://dx.doi.org/10.17979/reipe.2015.0.06.303.

PITELLI, N. Psicologia Educacional. 10 ed. São Paulo: Ática, 1991.

RIBEIRO, M. L., & CRUZ, A. S. O papel do professor no ensino superior: Representações sociais construídas por estudantes de cursos de licenciatura. In M. L. Ribeiro, E. S Martins & A. S Cruz (Orgs.). Docência no ensino superior: desafios da prática educativa. Salvador: EDUFBA. 2011, p.109-136.

ROLDÃO, M. Colaborar é preciso: questões dequalidade e eficácia no trabalho dos professores. Lisboa: Noesis, 2007.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes. 2002

VAZ-REBELO, P., PESSOA, T., & BARREIRA, C. Ser professor universitário: estudo exploratório em torno de concepções e práticas.Revista Portuguesa de pedagogia, 44(1), 63-82, 2010.

ZABALZA, M.A. Competências docentes del profesorado Universitario: calidad y desarrollo profesional. Madrid: Narcea, 2007.

WEIL, P. A Criança, o lar e a escola: Guia prático de relações humanas e psicologia para pais e professores .16. ed. Petrópolis: Vozes, 1994.

Publicado
2019-12-17
Seção
ARTIGOS