FORMAÇÃO INICIAL E TRABALHO DOCENTE NO INSTITUTO FEDERAL DE SÃO PAULO

WALAS LEONARDO OLIVEIRA, RODRIGO FERREIRA MOURA

Resumo


O artigo busca compreender os impactos da ausência de formação em licenciatura para o trabalho de docentes da Educação Profissional e Tecnológica de um dos câmpus do Instituto Federal de São Paulo. Realizou-se pesquisa qualitativa, utilizando-se de questionários com trabalhadores docentes bacharéis e/ou tecnólogos. Os resultados da pesquisa apontam para a necessidade de preparação dos professores não licenciados para enfrentar os desafios da sala de aula. 


Palavras-chave


Educação Profissional e Tecnológica; trabalho docente; formação de professores.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENHALDT, Rafael. Das docências narradas e cruzadas: das sur-presas e trajetórias reveladas: os fluxos de vida, os processos de identificação e as éticas na escola de educação profissional. 2005. 105 fls. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2005.

BRASIL. Resolução CNE/CP n 02, de 01 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, Diário Oficial da União, 02 de julho de 2015.

______. Resolução CNE/CEB n. 06/2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio, Brasília, Diário Oficial da União, 20 de setembro de 2012a.

______. Lei n. 12.772 de 28 de dezembro de 2012. Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal; sobre a Carreira do Magistério Superior, de que trata a Lei no 7.596, de 10 de abril de 1987; sobre o Plano de Carreira e Cargos de Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico e sobre o Plano de Carreiras de Magistério do Ensino Básico Federal, de que trata a Lei no 11.784, de 22 de setembro de 2008; (...), Brasília, Diário Oficial da União, 31 de dezembro de 2012b.

______. Parecer CNE/CEB n. 16/99. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Técnico, Brasília, Diário Oficial da União, 05 de outubro de 1999a.

______. Resolução CNE/CEB n. 04/99. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Técnico, Brasília, Diário Oficial da União, 22 de dezembro de 1999b.

FEIJÓ, Alexandre Araújo. Fatores determinantes de Motivação/Desmotivação de alunos do Curso Técnico em Informática do Colégio Agrícola de Camboriú – UFSC. Seropédica (RJ): 2008. 116 f. Dissertação (Curso de Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação Agrícola da UFRRJ, 2008.

FERREIRA, Angelita da Rocha Oliveira e MOSQUERA, Juan José Mourinõ. Os professores da Educação Profissional: sujeitos (re) inventados pela docência. Revista Liberato, Novo Hamburgo, v. 11, n. 16, p. 95-110, jul./dez. 2010.

FURTADO, Eliane Dayse P. e SANTOS, Sônia de Fátima. O professor da Educação Profissional: desafios nas práticas pedagógicas. Boletim Técnico do Senac: a Revista da Educação Profissional., Rio de Janeiro, v. 37, nº 1, p. 60-71, jan./abr. 2011.

LESSARD, Claude e TARDIF, Maurice. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 2ª. ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

MACHADO, Lucília Regina de Souza. Diferenciais inovadores na formação de professores para a educação profissional. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, v. 1, p. 8-22, 2008.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. A reestruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização, Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 89, p. 1127-1144, set./dez. 2004.

OLIVEIRA, Walas Leonardo de. Trabalho docente e Tecnologias da Informação e Comunicação: análise de possíveis alterações no processo de trabalho. 2007. 135f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação – Universidade Federal de Minas Gerais, 2007.

URBANETZ, Sandra Terezinha. A constituição do docente para a Educação Profissional. 151fls. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.19123/eixo.v8i3.506